SABÃO, ARTE E FILOSOFIA

quinta-feira, 2 de julho de 2009

A ARTE DE REMBRANDT O HOLANDÊS DO CLARO E ESCURO

Sabão, arte e filosofia

Rembrandt van Rijn (Pintor holandês) 15/7/1606, Leiden, Holanda 4/10/1669, Amsterdã, Holanda

Um dos pintores mais profícuos da história da arte conseguiu fortuna e morreu na miséria.

Autêntico a ponto de entregar pinturas encomendadas com seus próprios argumentos e não os pedidos e pagos.

A pintura que lhe inspirava era sua obra e jamais a que pretendiam seus compradores essas atitudes o conduziram a um processo falimentar completo e seus bens findaram por serem leiloados pela Justiça de Amsterdã (Holanda) em 1658.

A ironia é até sórdida, pois hoje, um único quadro seu leiloado compraria toda a cidade de Amsterdã da época.

Os Museus mais famosos do mundo disputam freneticamente qualquer obra desse autor.

Morreu aos sessenta e três anos na cidade onde fez nome, fortuna e miséria (Amsterdã).

Marcus Siviero

Céditos da biografia abaixo:

www.helderdarocha.com.br/.../o-rijksmuseum-em-amsterdam.html

Rembrandt Van Rijn é uma das mais eminentes figuras na história da arte européia; muitos o classificariam como o maior de todos os pintores. Trabalhou dentro da tradição superficialmente limitada da arte protestante holandesa e nunca deixou sua terra natal.

Pintor, desenhista e gravador, Rembrandt foi um mestre do claro-escuro, técnica em que os efeitos de luz criam a forma e o espaço e a eles a cor se subordina. Seus desenhos, notáveis pela soltura dos traços, são um vívido registro da Amsterdam de sua época, enquanto os retratos e auto-retratos evidenciam profunda sensibilidade às nuanças do temperamento humano.

O ponto mais alto de seu trabalho como retratista é o grupo conhecido como “A ronda noturna” (1642; Rijksmuseum, Amsterdam), representação rica em efeitos cênicos do desfile de uma companhia de atiradores. A restauração do quadro, no século XX, devolveu-lhe as cores originais e demonstrou que o adjetivo “noturna” devia-se apenas ao escurecimento da tela ao longo de três séculos.

Sua fase mais produtiva como gravador iniciou-se por volta de 1636 e estendeu-se por vinte anos. Muitas de suas gravuras representam também cenas bíblicas, entre as quais é especialmente conhecido o “Cristo curando doentes” (1645), conhecido como “Folha de cem florins” por ter sido vendido por essa importância. O ambiente das gravuras religiosas de Rembrandt é sempre de pobreza. O realismo do pintor o impede de dissimular mesmo a feiúra de um modelo e o leva a pintar cruas naturezas-mortas.

Rembrandt morreu em Amsterdam, em 4 de outubro de 1669. Embora estivesse então em relativa obscuridade, sua reputação foi recuperada no século XVIII e continuou a crescer até que, no século XX, o artista passou a ser considerado um dos maiores pintores do Ocidente.

Conheça mais visitando estes dois sites:

kavorka.wordpress.com/.../quadros-de-rembrandt/, www.helderdarocha.com.br/.../o-rijksmuseum-em-amsterdam.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DEIXE SEU COMENTÁRIO

MAS SAIBA QUE SEM O SEU E-MAIL NÃO TENHO MEIOS DE ENTRAR EM CONTATO.

COMENTE E DEIXE SEU E-MAIL

  • SEM O SEU E-MAIL NÃO TENHO COMO ENTRAR EM CONTATO