SABÃO, ARTE E FILOSOFIA

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

PENA QUE MUITOS PENSAM QUE ISSO É DEFEITO!!!


A cor de um sabonete natural é a que ele tem ao ser produzido.
Obviamente um sabonete pode ser colorido, mas, acima de tudo, a cor original deve ser respeitada, porém, o que isso significa??
Bem.., apesar de ser plenamente possível dar cores de bom gosto aos sabonetes devemos entender que sobre uma base escura vamos aplicar cores fortes e sobre uma base clara cores vivas e suaves.
Contudo, existem pessoas que consideram o sabonete uma “tela” ou um pedaço de “parede”, imaginam que sobre uma superfície de cor qualquer aplica-se um “fundo” branco (primer) e, depois, sua cor predileta nos tons desejados.
É óbvio que dá para fazer esses tipos de “milagres” técnicos, mas.., também devemos aceitar que é possível tomar banho com um pedaço de “reboco” pintado.
Veja; levando em conta algumas raríssimas exceções, por exemplo, os casos quase particulares do sabonete de gordura de côco e da sua mais próxima “companheira” a gordura do palmiste, praticamente todos os outros sabonetes tem cores próprias e, tenha certeza, não existe entre estes últimos o “santo graal”, a cor do cristal e, segundo alguns exagerados, a pureza do diamante branco.
Todos têm cores que vão do amarelo “palha” ao “negro de fumo”, as cores são todas muito bonitas, mas não brancas ou cristal e nem mesmo o “diamante”.
Ah!!! – Mas eu já vi!!! Eu estou até “ouvindo” do lado de cá do “Sabão-nosso”!! É claro que já viu, eles estão espalhados por todas as prateleiras de vendas do mundo, eu também já fiz deles aos milhares, todavia, aceitá-los como natural é erro crasso.
Chega uma hora na vida que resolvemos tomar certas decisões, muitas vezes essas atitudes sequer alteram nossos rumos, em outras, entretanto, nos conduzem a caminhos diferentes.
A consciência desses atos é o que nos faz notar se essas diferenças são para melhor ou não, ora!.. Eu optei por uma alteração de caminhos e assumi os riscos de vender menos e ser mal interpretado, e daí???
Sou qualificado suficientemente para discernir que minha opção foi correta, que o que eu produzo é natural e deve sofrer as mínimas “agressões” artificiais possíveis, por esse singelo motivo venho sempre esclarecer o que é natural e o que é artificial naquilo que fabrico.
Os que pensam que a tecnologia deve fazer a diferença sempre e a qualquer custo ainda têm muitos fornecedores, penso que devem encontrá-los e comprar tudo que puderem, quem sou eu para opor-me a esse impulso de consumo??
Ainda existe fumantes aos milhões a opção do tabagismo é particular e íntima, não temos o direito de interferir na vontade e direito alheios, mas podemos optar por outra qualidade de vida ( a nossa vida).
Aos que sabem que natural implica em aceitar as cores que a natureza nos oferece posso afirmar, “ – É mais seguro, é correto e, afinal de contas; NATURAL”!!!
A cor natural pode ser alterada com outras cores da mesma forma que a cor artificial, mas com a devida moderação do respeito à origem.
Uma base vegetal é amarela e também escura (nuances progressivos de tonalidades), lembrem-se os mais famosos e melhores sabonetes glicerinados do mundo, e isso inclui o Brasil, são absolutamente escuros.
O público consumidor tem verdadeira avidez por suas características e qualidades e sabem que cor é simples preconceito, quem quer me desafiar nessa afirmativa???
Lembrem-se os mais velhos e experientes o fato que vou narrar:
No século passado, por volta da década de trinta, uma indústria abriu um precedente histórico; lançou no mercado, contra todas as expectativas, um refrigerante absolutamente “PRETO”, os concorrentes sofreram até um choque de surpresa e admiração pela audácia, mas continuaram tranqüilos, pois como haveria de vencer a concorrência um produto que parecia fumo de corda queimado diante das alvas bebidas espumantes do mercado??
Hoje esse é o produto mais vendido do mundo, todos tentam imitá-lo e não conseguem suplantá-lo.
Cor é e, jamais deixará de ser, puro preconceito!!!
Todos os matizes merecem seu destaque, mas a natureza deve nortear o resultado.
Os materiais que branqueiam um sabonete antes que ele seja definitivamente colorido são os mesmos que há algum tempo as autoridades sanitárias denunciaram como ofensivos à saúde, pois, como o leite natural é “amarelinho”, mas a mídia (diga-se de passagem, “ mídia marrom”) insiste que “leite é branquinho” o querem fazê-lo branco a qualquer preço, inclusive ao “preço” da sua saúde.
Saibam que o consumidor está saturado dessas promessas vazias, no pão eram os bromatos, na carne, as anilinas metálicas para o vermelho e os infinitos conservantes, os vernizes nas laranjas, maçãs, peras e outras.
O sabonete, antes de mais nada, deve respeitar a superfície que limpa e perfuma, pense bem!! Que diferença fará um ladrão adentrar sua casa de terno ou de bermudas?? Ele está lá para roubá-lo!!!
Você pode muito bem estar sendo vítima de agressão ou pior contra seu corpo apenas porque escolheu uma cor “bonitinha”!!!
Todas as cores são boas ou más, saiba isolá-las ao fazer sua escolha.
Deveria existir a “cor da sabedoria” para consumirmos apenas o que é bom!!!
Marcus Siviero.

10 comentários:

  1. adorei sua colocação........e vamos em frente tentando mostrar a eles como é feito um produto "verdadeiro"....mesmo que a gente fique, na maioria das vezes, falando sozinhos....kkkkkk bjs Beth Bacchini

    ResponderExcluir
  2. Marcus, gostei muito das suas embalagens e da forma para sabonete.

    Você comercializa esses itens também, além da base para sabonete?

    Obrigado

    Paulo Lopes

    ResponderExcluir
  3. Voce e o melhor em cold process brasileiro.Parabens!

    ResponderExcluir
  4. Isso acontece também com o açucar e arroz, que originalmente possuem cor escura e passam por processos de branqueamento e clarificação para que fiquem mais atraentes o que só prejuíjos traz pra nossa saude!

    ResponderExcluir
  5. Isso acontece também com o açucar e arroz, que originalmente possuem cor escura e passam por processos de branqueamento e clarificação para que fiquem mais atraentes o que só prejuíjos traz pra nossa saude

    ResponderExcluir
  6. Boa noite! muito interessante seu blog . gostaria de mais informações da base do sabonete e também da base glicerinada .
    Obrigada .
    lia24nina@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  7. Boa noite! Gostei bastante do seu blog e gostaria de saber se existe alguma dica para diminuir a retraçao que ocorre depois de algum tempo, nos sabonetes glicerinados.
    Desde já agradeço.
    rczendron@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  8. marcus boa noite!
    adorei se blog. Por favor...tenho interesse em seus produtos. adoro fazer sabonetes e concordo em tudo q vc disse.
    aguardo sua resposta.
    obrigada
    demari_2004@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  9. oi,adorei seu blog,sou do RS e trabalho com saboaria , tenho muito interesse em seus produtos,bases,gorduras ,formas ,etc... por favor entre em contato. Muito obrigado!
    elianetwister@hotmail.com

    ResponderExcluir
  10. Oi Marcus? Qual é a quantidade exata do composto de sorbitol que você usa na receita da base glicerinada? E onde encontro o sabão noodle?
    Por favor! Mande a resposta para o meu e-mail:
    francesa_2011@hotmail.com

    ResponderExcluir

DEIXE SEU COMENTÁRIO

MAS SAIBA QUE SEM O SEU E-MAIL NÃO TENHO MEIOS DE ENTRAR EM CONTATO.

COMENTE E DEIXE SEU E-MAIL

  • SEM O SEU E-MAIL NÃO TENHO COMO ENTRAR EM CONTATO