SABÃO, ARTE E FILOSOFIA

quarta-feira, 25 de abril de 2012

CAPÍTULO VI


Capítulo VI

Pequeno receituário*


Sabão em pasta

Um produto muito prático de confeccionar, normalmente produzido sob fervura de vapor indireto, com gorduras e hidróxido de potássio, é fornecido ao mercado consumidor em embalagens plásticas, indicado, principalmente, para limpeza de louças e talheres lavados à mão. Produto fabricado pelo processo de empaste (3.4.b – Cap. III).


·         A) Sebo.................44 kg
Óleo de algodão......50 kg
Lix. de potássio.....39,6 kg – 50°Bé

·         B) Sebo.................40 kg
Óleo de coco.........30 kg
Óleo de algodão......25 kg
Óleo de palma.........5 kg
Lix. de potássio.....42,9 kg – 50°Bé

·         C) Sebo.................80 kg
Soja.................20 kg
Lix. de potássio.....39,6 kg – 50°Bé

·         D) Ácido esteárico......75 kg
Água filtrada........25 kg
Trietanolamina.......25 kg
(Procedimentos em D) - Neutralizar primeiramente o ácido com a trieta, equilibrar o (p.h.) em 7,5 aumentando a trieta ou acrescentando oleína clara, agitar energicamente com a temperatura ao redor de 80°C, adicionar, então, a água. Produto especialmente indicado para tratar prataria. Pode-se obter melhor resultado baixando-se o (p.h.h) para 6,5 com ácido oxálico.

As gorduras destas receitas devem ser filtradas e de ótima qualidade, serão escolhidas conforme a região de maior facilidade e produção por motivo de custos. Evitar o excesso de água, pois esta deprecia demasiadamente o produto.

Sabão abrasivo

Este sabão pode ser produzido em pasta como os anteriores ou ainda, sólidos em barras, tendo a preferência, no entanto, os primeiros.

Em pasta

Qualquer das receitas anteriores, acrescidas de pó bem refinado de dolomita ou talco de ótima procedência para limpeza de materiais finos.

Abrasivo sólido

Sebo.............100kg
Amido seco.......20kg suspensão no sebo
Lixívia de soda...43,12, de 38°Bé (NaOh)
Dolomita ou talco.16kg

O abrasivo é incorporado ao material quando este já estiver em fase de solidificação ou seja, uma pasta consistente no misturador.

O produto acima descrito, é indicado para processamento em extrusoras.

Desengraxantes

Trata-se de sabão comum, sólido ou pasta, aditivado com nonil fenol de óxido de etileno a 9,5 ou álcool ceto estearílico a 10 moléculas de óxido etilenico ou uma soma dos dois, totalizando 1,5% do sabão produzido.

Desengraxante em pasta

Qualquer das receitas de pasta acrescidas de 1,5 a 3% de um dos emulsionantes referidos.

Desengraxante sólido

Sabão aditivado com 1,5 a 3% dos produtos citados na hora de homogeneizar nos compressores (extrusão).

Sabão líquido – Sabonete –

Pode ser utilizado como sabão ou sabonete dependendo dos aditivos aplicados, será consumido como sabonete em cinemas, hospitais, restaurantes, etc.., sendo explorado também, para uso em máquinas de lavar roupas e para limpeza geral, é, normalmente perfumado.
Sabonete líquido transparente

·         a) Gordura de coco...............50    kg
Óleo de rícino................10    kg
Lixívia potássica 50°Bé.......28    kg
Água filtrada................150    Lt

Depois de neutralizado e frio aditivar com:

Ácido cítrico..................0,25 kg
Mentol.........................0,25 kg
Corante, pasta de 30%..........0,03 kg
Perfume........................0,80 kg

São receitas de ótimos produtos e extrema delicadeza para o contato com a pele, não provoca o ressecamento desta.

Sabão líquido p/ roupas (máquinas)

·         b) Gordura de coco..............100    kg
Lixívia potássica 50°Bé.......51,20 kg
Água quente filtrada.........450    Lt

Bater intensamente (mix), confirmar a neutralização, deixar esfriar. Depois de frio, com agitação forte adicionar:

Tripolifosfato de sódio.......12    kg
Metasilicato de sódio.........10    kg
Carbonato de sódio.............4    kg


Regular o (p.h.) entre 7,5 e 8,0 (levemente alcalino) com ácido oléico e batimento enérgico.

Aditivar com 1,5 a 2,0 de nonil fenol (9,5) ou álcool ceto estearílico (10) e se terá um produto de excepcional qualidade.
Sabão de “borras” (subproduto de refinaria)

Esse é o caso de produto de uso popular de baixa qualidade, porém, devido ao baixo preço de venda é um material de boa demanda.

(soapstock) – Sabão de “borras”

Antecipadamente, deve-se saber do refinador, o percentual de ácidos graxos disponível no material ou então, determina-lo, quando este for pobre (o que sempre é), acrescenta-se de 20 a 50% de uma gordura comum de (I.S. 200 a 250).

O sabão

Borra de soja a 15% á. graxos...100    kg
Sebo (bovino)....................30    kg
Lixívia 38°Bé NaOH...............21,67 kg

Se preferir, adicionar 0,05 kg de corante em pasta e perfume “barato” 1%.

Produto para extrusão.

Sabão em pó

Produto quase totalmente substituído pelo detergente sintético (p-dodecil benzeno), ocorre ainda, alguma procura em determinadas regiões e há, no mercado em geral, uma confusão generalizada em aceitar o detergente em pó pela designação de sabão em pó, em verdade, estes são incompatíveis e, completamente diferentes, na concepção, coincidindo, apenas, na forma de apresentação e uso.
·         a) Sabão produzido em misturador “pesado”

Forma uma massa de alta consistência e, no batimento, evolui até a secagem transformando-se em pó.

Sebo......................100    kg
Lixívia forte, 50°Bé.......28    kg
Carbonato de sódio anidro...8    kg

Produto que pode ser aditivado com amido de milho, 15% do peso de sebo, este deve ser misturado e bem homogeneizado à gordura antes de colocar a soda ou carbonato, esta “carga” deixa o sabão menos agressivo.

No reator, quando começar a formação da pasta, adicione:

Sulfato de sódio.......150   kg
Metassilicato de sódio...6   kg
Tripolifosfato de sódio..6   kg

Atenção: - Este produto é fabricado completamente a frio, com exceção do prévio aquecimento leve do sebo (máximo 60°C) para torna-lo líquido. A temperatura subirá espontaneamente durante o processo.

·         b) Um detergente sintético popular

Ácido sulfônico............15   kg
Água morna filtrada........80   kg
Silicato de sódio neutro...60   kg
Sulfato de sódio anidro...100   kg
Metasilicato de sódio.......5   kg
Tripolifosfato de sódio.....5   kg
Corante azul.............20 gramas
Misturar muito bem no batedor (forma um líquido viscoso), adicionar 0,8 kg de ácido sulfúrico fumegante com muito cuidado e lentamente, deixar bater até distribuir bem todo o ácido, desligar o equipamento quando notar início de “empastamento”, espalhar o material cuja espessura da lâmina não ultrapasse 10 milímetros, em um piso liso e muito limpo, em aproximadamente 4 horas o material espalhado estará seco em forma de agulhas (aparência de bolor super desenvolvido) na cor azulada peculiar.

Sabão para cromados

Esse tipo de sabão é aplicado em materiais a serem polidos quando da lavagem.

Utiliza-se qualquer das receitas de sabão em pasta e se adiciona 3% do seu peso total de cera de carnaúba derretida, colocada no óleo antes de ser neutralizado.

Esta receita pode ser aditivada com 10 ou 15% de talco finíssimo de ótima qualidade.

Sabões de uso veterinário

São sabões consumidos para higiene e tratamento de animais, têm funções bactericida, inseticida, fungicida, etc..

É fornecido líquido ou em barras e basta executar as receitas acima acrescentando os ingredientes fármaco-ativos, por exemplo:
Até 3% de enxofre, age contra sarna e outras afecções da pele animal.
1% de lindane, age contra piolhos, pulgas e vários outros insetos parasitas.
3% de extrato ou tintura de confrei, age como cicatrizante da pele.
5% de cânfora farmacêutica, age contra dores musculares provenientes de friagem ou traumatismos leves.
6% de formalina a 40%, age com excepcional eficácia como germicida geral.
3% de ácido fênico, age como coadjuvante na secagem de feridas em fase de cicatrização, ótimo bactericida.
5% de verniz “goma-laca” indiano, o “asa de barata” mais 1% de cera de carnaúba(flor de carnaúba), age produzindo brilho e corpo na pelugem do animal de exposição.

Sabonetes

Esse produto merecerá o capítulo VIII inteiro, desde o “sabão básico” fundamental até os mais sofisticados cremes, pois se trata aqui de um ícone da saponificação industrial.


* – As receitas deste trabalho devem ser entendidas apenas como sugestões, não cabendo ao autor ou editores responsabilidade sobre as mesmas.

2 comentários:

  1. Oi, Marcus. Não consigo ver o video. Carrego na seta, mas não dá nada.
    Amigo, estas quantidades são industriais. Sou muito modesta, preciso de quantidades mais pequenas como a minha cozinha.:)) Ana Maria

    ResponderExcluir
  2. Olá!Gostei,mas gostaria de pequenas quantidades para meu uso.Teria como passar a receita para 1 kg de cada produto?

    ResponderExcluir

DEIXE SEU COMENTÁRIO

MAS SAIBA QUE SEM O SEU E-MAIL NÃO TENHO MEIOS DE ENTRAR EM CONTATO.

COMENTE E DEIXE SEU E-MAIL

  • SEM O SEU E-MAIL NÃO TENHO COMO ENTRAR EM CONTATO